real estate menu left
real estate menu right
Poema "SE" PDF Imprimir
Se o tiro não comandas com justeza,
Inteligência e máxima presteza,
Para ceifar o campo com a metralha
Que ao inimigo as carnes estraçalha
Se não mereces por um só instante
O inabalável crédito do infante,
Do blindado ou do nobre cavaleiro;
Se te amarga saber que o artilheiro
Da vitória se torna o trunfo d’ouros
Para que outros vão colher-lhes os louros
Se algo existe que o ânimo te impeça
De abraçado morrer à tua peça
Em holocausto à Pátria inesquecível;
Se não te escudas numa calma incrível
Ante o perigo cheio de inquietude;
Se a lealdade em ti não é virtude
Que só te abone a prática da ação
Que vem d’alma como do canhão;
Se das bocas de fogo entre os clarões
Deus não te crês dos raios e trovões,
Digo-te então:
Erraste a vocação.
Para trás, inditoso companheiro!
Não poderás nunca ser um ARTILHEIRO!
 

Links EB




Logo Secao Informatica
Copyright © 2010 CMSM. Todos os direitos reservados.
Seção de Informática - secinfor@cmsm.ensino.eb.br
Autorização publicada no Boletim do CMS nº 44, de 30 OUT 13